Resultado positivo: a busca constante de uma empresa.

Em um cenário atual de inúmeras transformações e de muita rapidez por inovação e pela busca de novos clientes, você concorda que, uma empresa bem gerida precisa saber, no mínimo, qual foi o resultado obtido no final do mês?

Então, é importante lembrar: conhecer o resultado de uma empresa significa saber se a empresa deu lucro ou prejuízo e qual o valor desse montante. Em princípio, parece simples e básico, mas na prática não é.

Para se apurar o resultado de qualquer empresa é necessário muito conhecimento técnico de contabilidade e finanças. De forma resumida, o resultado é calculado quando pegamos as receitas da empresa e abatemos, deste valor, os custos e as despesas.

Isso parece óbvio. Porém, é exatamente essa a dificuldade. Falta, para muitos, o conhecimento elementar. Falta, por exemplo, o conceito para segregar custo de despesas. Falta, ainda, entender que esse raciocínio não é apenas uma conta de mais e menos.

O raciocínio mais complexo envolve compreender que temos, no mínimo, três visões distintas para uma gestão completa: patrimônio, caixa e resultado. São esses três enfoques que caminham de maneira interligada e que a maioria das pessoas não entende como se relacionam.

Portanto, afirmo: é o domino da relação entre PATRIMÔNIO, CAIXA e RESULTADO que sustenta uma boa gestão.

O conhecimento é cientifico e existe há mais de 500 anos. Empresas sérias e prósperas “bebem” desse modelo para crescerem e progredirem. Neste cenário, “os números” retratam de forma clara e transparente como está a empresa, depois de tomadas e operacionalizadas as medidas escolhidas. É possível ver, nitidamente, os acertos e os erros nos números.

Obviamente, ao enxergar o que está acontecendo, fica mais fácil de corrigir pontos negativos e de fortalecer os pontos positivos. Começa, neste momento, a organização de uma gestão profissional.

Com os números retratando a realidade, é possível estabelecer indicadores de desempenho e projetar o que aconteceria com a empresa se todos os planos pré-estabelecidos fossem cumpridos. Trabalhar de uma forma planejada e organizada permite a antecipação de fatos e suas respectivas consequências.

A área de CONTROLADORIA é a que desempenha esse papel nas organizações.

É a CONTROLADORIA que tem a função de informar, motivar, coordenar, avaliar, planejar e acompanhar a evolução e o desempenho dos planos traçados. Por essa razão, será a responsável por:

  • Mensurar a performance de tudo e de todos;
  • Reportar e interpretar os resultados das operações dos diversos níveis gerenciais;
  • Medir a eficiência dos objetivos do negócio e a efetividade das políticas;
  • Avaliar a estrutura organizacional e os procedimentos para o atingimento desses objetivos.
  • Analisar a adequação na utilização dos recursos materiais e humanos da organização;
  • Sugerir melhorias para a redução de custos.

A CONTROLADORIA deve funcionar como o coração da empresa, “bombeando” informações estruturadas para todas as outras áreas.

E, por isso, todo gasto envolvido na controladoria deve ser encarado como investimento. Com certeza, será muito mais caro não ter essa área funcionando de maneira profissional em sua empresa.

Se quiser saber dos resultados reais no final do mês, se quer gerir a sua empresa com qualidade e profissionalismo, não abra mão da CONTROLADORIA.

Prof. Me. Giovanni Colacicco