Muito mais do que guardar dinheiro no banco, para ficar rico é preciso ser inteligente e ter uma dose bem grande de disciplina

Há algumas semanas, pela manhã, depois da minha aula para a turma de Economia da PUCSP, um aluno me cercou no corredor e me fez a pergunta:

“Professor você disse que se usar os conceitos da Ciência Contábil direitinho, dá para ser milionário até os 30 anos. Isso é verdade?”

Sem hesitar, respondi:  “Sim, é verdade. Mas vai depender de 3 coisas.”

O aluno, todo interessado, já foi direto para a pergunta:

“Então me diga quais são, professor!”

Olhei bem para ele e disse: “Tempo, disciplina e muita reflexão, no sentido de pensar muito.”

Claramente incomodado com minha resposta, ele me diz:

“Explica isso melhor, professor, por favor!”

Então, comecei a fazer algumas perguntas.

  1. Quantos anos você tem? 19 Anos
  2.  Costuma guardar dinheiro? Sim, tenho quase R$ 10.000,00 guardados.
  3.  Está mesmo a fim de ficar milionário até os 30 anos? Sim, quero muito ajudar meus pais, que estão se esforçando para pagar meus estudos.

Neste momento, ele me ganhou. Sentei em uma sala vazia, abri meu computador e, ao lado dele, construí rapidamente uma planilha inicial. Mostrei para ele que, se juntar R$ 10.000,00 por ano, nos próximos 9 anos, e conseguir dobrar o capital a cada 5 anos, ou seja, aproximadamente 15% ao ano, com 30 anos você terá mais que 1 milhão. E completei, dizendo: se você continuar dobrando o capital a cada 5 anos, nunca mais precisará guardar dinheiro, ou seja, sua aposentadoria estará garantida e, com 60 anos, terá cerca de 76 milhões acumulados. Com este cenário, tudo que ganhar com seu trabalho, a partir de então, pode gastar sem culpa.

Com um semblante de “QUERO MUITO”, ele veio com uma pergunta importante: mas como eu faço para rentabilizar o dinheiro 15% ao ano?

Respondi de forma bem direta: eu disse você que precisará de 3 coisas: a primeira é tempo, e isso você tem; a segunda é disciplina para guardar dinheiro; e a terceira, é refletir muito. Portanto, pode começar!

Olhando a fisionomia dele de surpresa, levantei, fechei meu computador, dei tchau e fui embora!

Ao entrar em meu escritório, abri meu computador e a planilha ainda estava aqui, aberta. Então, fiquei pensando: “como será que ele está, agora? Pensando ou já desistiu?”

Deixo aqui o desafio para todos! Vai pensar ou desistir?

Prof. Me Giovanni Colaccico