ATENÇÃO: Uma Síndrome chamada INEDMA ameaça acabar com o Brasil.

De uns anos para cá tanto a iniciativa pública quanto a iniciativa privada vem sofrendo com a contaminação desenfreada de pessoas sendo infectadas com a síndrome do INEDMA.

Nome dado a um comportamento perigoso que tomou conta das pessoas em empresas privadas e órgãos públicos.

De fácil diagnóstico, a síndrome é detectada quando as pessoas são demandadas por tarefas necessárias e muitas vezes importantes, e com uma reação meio automática e até bem espontânea se livram da tarefa/demanda/trabalho, com uma simples frase:

– Isso Não É Da Minha Área – (aí o nome INEDMA)

Os sintomas iniciais apresentados por essas pessoas são:
• Falta de entendimento completo da importância de se fazer a tarefa;
• Dificuldade de entender as consequências e impactos da não realização do trabalho;
• Incapacidade técnica e intelectual de realização.

Com o tempo, as pessoas infectadas acham que aquele comportamento de repetir tal frase: “Isso Não É Da Minha Área” – é algo normal e praticado por muitos.
E que esta resposta, passa a ser a chave da solução para todas as tarefas que fogem do controle e capacidade.

A consequência sempre é uma piora nos sintomas. Rapidamente as pessoas passam a não se preocuparem em se aprimorar tecnicamente e intelectualmente para adquirir capacidade para tais realizações.

Se acomodam. Vivem o dia a dia como se nada estivesse acontecendo. Como se aquela tarefa não feita, que foi “empurrada” para frente, não trouxesse graves consequências para os resultados gerais da organização na qual trabalha.

Aí, as pessoas limitadas às suas capacidades e escoradas pela desculpa do INEDMA, começam a serem improdutivas e terem cada vez mais tempo ociosos. Prejudicando de vez o resultado final do todo.

Nesta fase, as pessoas já apresentam outros sintomas mais graves que podem leva-las à morte (demissão), tais como:
• Descomprometimento com a causa/empresa/resultado
• Falta de vontade de trabalhar
• Preguiça constante
• Desinteresse em produzir
• Desculpas frequentes para a incapacidade

Alguns evoluem para uma vertente do mal, e apresentam inclusive sintomas de distúrbio de caráter:
• Má fé
• Sabotagem
• Conspiração

Os resultados de tantas pessoas contaminadas no Brasil podem ser vistos em Empresas, Municípios, Estados e União, que se apresentam na maioria das vezes com dificuldades financeiras. Alguns quebrados.

O problema é um só: As pessoas não estão fazendo o que deveriam fazer.
QUE É PRODUZIR MAIS E MELHOR. CRIANDO MAIS VALOR NAS COISAS.

Pessoas que sofrem da síndrome também normalmente reproduzem outras frases malignas, tais como:
– Não fui contratado para isso.
– Isso não é minha função.
– Não vou fazer, pois deu meu horário.

NAS EMPRESAS, acontecem coisas do tipo…
• O cara da produção não produz, pois não tem matéria prima.
• O cara de compras diz que não comprou matéria prima, pois a empresa não tem dinheiro.
• O Cara do financeiro justifica a falta de dinheiro por não ter venda.
• O vendedor não está mais vendendo com medo de passar vergonha com o cliente, pois a entrega do que ele já vendeu no passado não foi feita.
• A entrega não é feita justamente porque o cara da produção não produziu

Para cada um, isoladamente na empresa, parece que a sua justificativa é óbvia e normal.
MAS NÂO É!!!
As pessoas não se interessam pela solução. Elas estão preocupadas apenas com elas ou com a área delas. Ficam muitas vezes paralisadas sempre esperando o outro avançar.

NO GOVERNO não é nada diferente. Escutamos a todo o momento nos noticiários;
• Não há arrecadação, pois a economia está ruim;
• A economia está ruim, pois precisa de ajustes nas contas publicas;
• Gastasse muito, pois a máquina pública está inchada;
• No entanto, não se pode enxugar a máquina, pois a regra não permite demissões.
• Não se muda as regras, pois o congresso/judiciário não se interessam;
• A solução então são as reformas (Previdenciária, Fiscal, politica, etc…).
• Mas as reformas não saem, pois vai mexer no privilégio de quem lá está.
• E quem lá está mesmo não prestando bons trabalhos, lá ficam;
• E ficando; continuamos com a economia ruim e sem arrecadação.
Hahahah…. Que puta zona!!!!!
E ai vai….
• Não tem médico, porque não tem educação.
• Não tem educação porque não tem dinheiro.
• Não tem dinheiro, pois não tem arrecadação

Sempre um empurrando para o outro….
Chega a ser engraçado a ignorância de todos em conjunto.
Há tempos estamos empurrando tudo para frente. De tanto empurrar para frente, chegamos à ponta do abismo. E aí sabe o que aconteceu? Continuamos empurrando e caímos no abismo

Mas que burrice!!!!

O que poucos entendem é: O importante é o resultado final, não importa quem vai fazer. Mas se não fizer, as consequências no final afetarão todos. Este deveria ser o raciocínio inteligente.

Visito empresas todos os dias. A síndrome do INEDMA está presente em todas. As pessoas não assumem as responsabilidades. Acham que sempre terá alguém para resolver “aquela tarefa” e salvar a Pátria.

Que tal uma campanha pública para disseminar a síndrome do INEDMA.

 

Será que não é a hora de todo mundo refletir? Ou vamos continuar sendo o país do Samba? Dançando ao som de Zéca Pagadinho
– “Deixa a vida me levar, vida leva eu…”

Prof. Me. Giovanni Colacicco